20:13h • 14 de Novembro de 2018
Alterar Senha
Esqueci minha Senha

Notícias

Dia Internacional da Mulher

A APMP parabeniza todas as mulheres

08/03/2017

Ser mulher é ser única e, neste dia 08 de março, a Associação Paranaense do Ministério Público parabeniza todas as mulheres que diariamente buscam realizar seus sonhos e com dignidade alcançam o espaço na sociedade.

Em especial agradecemos a todas as associadas, promotoras e procuradoras de Justiça do Paraná, que além de cuidarem dos seus sonhos, ainda defendem aquilo que é inerente ao direito de todos os cidadãos. Que bravamente, em suas promotorias e comarcas, atendem a sociedade e contribuem para a construção de um estado e um país mais forte e igualitário!

Ações para o Dia da Mulher

Para homenagear as mulheres do Ministério Público, a APMP sorteará nesta quarta-feira, 08 de março, dois brindes e realizará no período da tarde um coffe-break, preparado especialmente pela colaboradora Diva.  Veja mais sobre estas duas ações da APMP:

 

Coffe-Break

Convidamos as associadas para o coffe break que será especialmente preparado pela colaboradora Diva, das 15h30 às 18h. O lanche será servido na sede administrativa da APMP, no segundo andar, em Curitiba. O cardápio terá bolos, torta salgada, sanduíche, pipoca, além de bebidas, como café cremoso, água, refrigerante e suco.

 

 

 

 

 

Sorteios

A APMP irá sortear nesta quarta, às 17h, um kit Nativa Spa do Boticário e o livro “Eu Sou Malala”, da Editora Companhia das Letras. 

Kit Nativa SPA - O Boticário

Para associadas titulares de todo o estado, será sorteado um kit Nativa SPA - O Boticário. O kit seis itens, sendo 1 Shampoo Nutrição dos Fios Óleos Indianos, 1 Condicionador Nutrição dos Fios Óleos Indianos, 1 creme capilar, 1 Creme Desodorante Para Mãos e Pés, 1 Óleo de Massagem Desodorante Corporal e 1 Mel Esfoliante Desodorante Corporal.

 

 

 

 

  

Livro – “Eu sou Malala”

Também será sorteado entre todas as associadas titulares o livro “Eu Sou Malala”. Para a editora Companhia das Letras, a obra é a história de uma família exilada pelo terrorismo global, da luta pelo direito à educação feminina e dos obstáculos à valorização da mulher em uma sociedade que privilegia filhos homens.

Quando o Talibã tomou controle do vale do Swat, uma menina levantou a voz. Malala Yousafzai recusou-se a permanecer em silêncio e lutou pelo seu direito à educação. Mas em 9 de outubro de 2012, uma terça-feira, ela quase pagou o preço com a vida.

Malala foi atingida na cabeça por um tiro à queima-roupa dentro do ônibus no qual voltava da escola. Poucos acreditaram que ela sobreviveria.

Mas a recuperação milagrosa de Malala a levou em uma viagem extraordinária de um vale remoto no norte do Paquistão para as salas das Nações Unidas em Nova York. Aos dezesseis anos, ela se tornou um símbolo global de protesto pacífico e a candidata mais jovem da história a receber o Prêmio Nobel da Paz.